sábado, 30 de agosto de 2014

Resenha de Dose de Vingança!

Saiu a primeira resenha do livro Dose de Vingança feita pelo blog Vivendo em Livros de Thaynara Carvalho!

Confiram e comentem: http://vivemosemlivros.blogspot.com.br/2014/08/resenha-dose-de-vinganca-renan-c-p.html#more

  Na pacata cidade típica do Oeste, Thombstone, três famílias - que já lutaram juntas na guerra - se digladiavam quase que diariamente. A guerra entre as famílias (Braxters, Rojos e Davis) já durava dez anos, o motivo do guerra ninguém sabia. De vez em quando, as famílias se aliavam eram obrigadas a se aliarem para combater outros inimigos. Braxters e Rojos se uniram e decidiram pôr fim no 'clã' Davis.
  O fim de uma das famílias (senão de todas) era algo esperado.
  O pequeno Jack Davis havia roubado a arma de seu pai, e foi para uma fazenda bem distante da cidade, treinar sua mira com latinhas.

"Cinco tiros, e cinco latas derrubadas."



   Depois do sucesso que foi o treinamento solo, Jack voltou para a sua casa. Ao chegar lá, encontrou uma cena vista apenas em seus "sonhos".

   Seus avós, pai e mãe estavam mortos - e ele só não fora por que estava bem longe dali - Jack ainda conseguiu ouvir as últimas palavras de sua mãe. E um sentimento de vingança tomou conta dele.

"Jack pegou o rifle da mãe e jogou nas costas preso por uma tira de couro. Caminhou lentamente na direção do corpo do pai, tirou-lhe o chapéu, com o furo de bala da frente, e colocou na própria. Depois lhe tirou também as botas velhas com esporar enferrujadas e calçou nos pés."

    Ao sair daquele cenário de horror, Jack foi para o Saloon, e lá encontrou alguns dos responsáveis pelo massacre a sua família. Tiraram sarro da cara do pobre Jack. Mas o que eles não contavam era com a mira certeira do garoto. Poucos tiros, e a maior parte dos miseráveis estavam mortos - outros conseguiram se esconder. Mas Jack não queria nenhum deles vivos. Desamarrou um dos cavalos e deu um tiro para cima, o animal saiu em rápidos galopes fazendo uma intensa poeira levantar, os homens saíram do então esconderijo, e Jack pôs fim em todos eles. Ali fora sua primeira dose de vingança.
    Paralelo aos acontecimentos na pacata Thombstone, em Nova York acontecia uma grande festa, onde duas grandes empresas competiam para ganhar uma licitação para a construção de uma estrada de ferro, que ligaria Nova York ao estado da Califórnia.
   George McKinley e Henry Coolidge eram adversários, sendo o primeiro o favorito para a grande obra.
    Ambos ricos, sendo George, alguém com experiência, já possuía uma certa idade, e junto com a idade, cabelos brancos. Henry, era jovem, pouco menos de trinta anos, e super amante dos avanços tecnológicos.
    A escolha da empresa foi um momento de grande tensão, apesar de George ter a preferência, Henry tinha a graça do presidente. Mas é claro, experiência conta sempre e George ganhou a licitação. Né? Nããão!

"McKinley estava entorpecido pela ansiedade da cerimônia e pela vontade de começar aquele empreendimento. Havia feito planos, captado recursos e tudo mais que seria necessário para a construção da estrada de ferro. Talvez por isso tenha ignorado completamente o anúncio do presidente indicando a empresa vencedora, que não era a sua. Enquanto se levantava com um sorriso treinado no rosto e acenava para aqueles mais próximos, ignorou o constrangimento de alguns e o aviso desesperado de sua esposa para que ele não fosse. Ignorou também que, do outro lado do salão, o jovem Henry Coolidge se levantava sob aplausos de todos e se direcionava ao palco."
Mico do ano! Durante muito tempo, o episódio seria lembrado pelas rodinhas de fofoca da alta sociedade.
    Em Thombstone, Jack vivia para beber, bebia para viver. Nos fundos da sua casa, tinha uma destilaria, onde antigamente o pai fabricava as própria pingas, para vender - o que quase nunca conseguia fazer. Ele levantou e foi rumo a primeira dose de cachaça do dia, mas Washington - seu cachorro - havia bebido tudo! Jack foi ao 'centro' da cidade em busca do Saloon para cumprir a sua única meta de vida - beber, brigar, dar tiros.
    Os anos se passavam, e em nada Thombstone - nem Jack - evoluíam.

"Thombstone permaneceu como que parada no tempo. Em quase nada variou seu número de habitantes [...] As pessoas que lá viviam tinham a mesma cara - sem contar aqueles que morriam da violência cotidiana e, mesmo assim, os jovens que os substituíam pareciam ser a cópia [...] dos falecidos."
    
    Ao chegar no Saloon, de cara se deparou com as confusões de sempre, mas isso não o alarmava, aliás, confusão era o sobrenome de Thombstone.

    Vários doses, e entra no Saloon uma forasteira, que estava muito afim de confusão. Foi praticamente amor a primeira vista, se é que isso existe. Debbie apareceu para dar um upgrade na vida de Jack. Passaram a assaltar juntos, beber juntos, arrumarem confusões juntos. Em um dos assaltos cotidianos, Debbie os meteu em uma grande encrenca com o exército dos Estados Unidos. Mas nem mesmo o exército era capaz de deter Jack e sua boa pontaria. Mais de cem homens contra "dois". Parece covardia, mas...
    Foi uma grande guerra, depois que Thombstone foi destruída, o casal tiroteio, decidiu viver de forma nômade, sempre a procura de uma boa aventura, e de preferência um bom Saloon também.
     Debbie tomou conhecimento de um trem que transportava gente importante, e muita riqueza. Não precisa nem de bola de cristal para saber que, é claro, eles vão assaltar o trem e viver com a mordomia que as moedas de ouro podem lhe dar.
     Chegado a hora do assalto, algo deu errado, Debbie não conseguiu entrar no trem, e Jack foi para a "caverna do dragão" sozinho. Os policiais que protegiam as pessoas e cargas dentro do trem, nnão demoraram muito para notar um intruso, e começou a tiroteio. Quando o trem chegou a parada final, Jack estava bem, porém Henry Coolidge - que estava no trem - morreu, vítima de uma(s) bala(s) perdida(s).
     Depois de ser acusado de matar alguém importante, Jack foi preso e passou dois anos na cadeia. Lá ele aprendeu truques de poker, fez dois bons amigos e tocou terror. A cadeia virou um verdadeiro inferno, e Jack foi solto antes do tempo, em uma tentativa desesperada de fazer o presídio voltar às ordens.
     Como uma boa e fiel forasteira, Debbie esperou por Jack. E voltaram a vida bandida de antes, mas antes, Jack matou a vontade de tomar várias doses de pinga, que não fosse fabricada dentro de um pinico, como era na prisão.
     Muitas brigas e assaltos depois, Jack acorda, e não encontra Debbie. A procura, e nada! Para onde fora o amor da sua vida?
     Depois que ele percebeu que foi abandonado, ficou sem chão. E se não bastasse, um pirralho que ele havia conhecido na prisão agora estava querendo ajuda dele para conseguir uma passagem para o Norte.
     Depois de arrumar umas boas confusões com o pirralho, Ben, Jack ver Debbie entrando em uma carruagem, acompanhada de homens ricos e bem vestidos. Ao tentar falar com ela, Debbie diz para ele esquecê-la, pois ela não era nada do que ele imaginava.



Opinião: Confesso que de início achei que não fosse gostar da historia, pois o que se ver nas primeiras paginas, é muito sangue derramado. Mas o livro é de faroeste, e isso é super normal. Então, não tem problemas. A historia é surpreendente, a maneira como a história do pistoleiro de Thombstone se encaixa com a dos ricos em Nova York é mega legal e inesperada. E Debbie? Essa forasteira esconde um grande segredo, segredo esse que vai te deixar de cabelo em pé e queixo caído quando descobrir.
     

Vejam a resenha no skoob:  http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/400229